Operações Offsshore garantem mais segurança para o mercado de óleo e gás...

Segurança nas operações aéreas offshore

Diariamente, centenas de profissionais embarcam para as plataformas de óleo e gás para a sua jornada de trabalho. O transporte aéreo para este tipo de serviço apresenta características peculiares, como pouso em unidades marítimas móveis – sujeitas à movimentação de ondas do mar – e em espaço restritos, entre outros quesitos. Fatores estes que exigem rigorosos procedimentos de segurança.

A Líder Aviação atua no segmento offshore e onshore há mais de 40 anos. Segundo a diretora superintendente, Junia Hermont, para que uma empresa atue neste segmento é preciso muita expertise e continuo investimento em segurança. “São missões que ocorrem, geralmente, em locais isolados de alto risco, que exigem das empresas múltiplas regulamentações, know-how e priorização do processo de segurança”.

Para aumentar a eficiência e segurança no voo, o investimento em tecnologia é essencial. A Líder Aviação, por exemplo, adota esta prática. A empresa foi a pioneira na utilização do Sistema Blue Sky Network nos helicópteros. Ligado a redes de satélite, o aparelho instalado na aeronave fornece mensagens constantes com informações como notificações de decolagem e aterrisagem, alerta de altitude mínima, entre outros. “Esse sistema oferece relatórios de planejamento de missão e possíveis ocorrências de não conformidades, que permitem à empresa pleno controle da sua frota durante todo o tempo”, explica Junia.

Outras tecnologias a favor da segurança de voo em operações offshore é o Flight Data Monitoring (FDM), que monitora eventos de manutenção e operações, auxilia na pesquisa de pane e nas investigações e analisa a ocorrência de possíveis novos eventos. Ao todo, mais de 450 parâmetros de voo são monitorados, como velocidade, altura, inclinação, torque e temperatura do motor.

“Além da utilização desses sistemas, que atuam de forma preditiva e preventiva, vale lembrar que fatores como certificações nacionais e internacionais, constante treinamento de pilotos e estudo da missão, levando em consideração o modelo da aeronave, a capacitação e o tempo de voo disponível, também são essenciais para a segurança da operação”, pondera Junia.

Mais do que investir em tecnologia, para esse tipo de operação também é crucial o investimento em capacitação profissional. Na Líder, os profissionais envolvidos em atividades aéreas participam de programas regulares de treinamentos em simuladores de voo, destinado aos pilotos, e de fadiga.

A segurança operacional da Líder é destaque e já foi premiada pelos operadores do mercado offshore.

 

Voos Spot

A Líder também oferece a opção de voos spot. Diferente dos contratos usuais, no qual há disponibilidade da aeronave em tempo integral e vigência por períodos determinados, esse serviço consiste no fretamento de helicópteros para missões específicas relacionadas, principalmente, ao segmento de óleo e gás.

“Além das grandes operadoras do segmento, existe uma grande cadeia produtiva que envolve centenas de prestadores de serviços. Como boa parte dessas empresas precisa, eventualmente, deslocar suas equipes até as plataformas, é uma oportunidade de expandir a atuação para esse público e oferecer a eles as melhores soluções neste tipo de operação, com a mesma segurança”, conta Junia. São mais de 40 aeronaves na frota voltada para operações onshore e offshore.

 

Como funcionam os voos spots?

 

1) O cliente entra em contato pela Central de Fretamento de Helicópteros Offshore, pelo telefone 0800 701 0239, disponível 24h por dia.

2) A equipe Líder analisa a demanda e elabora a melhor proposta para atender o voo, com todos os detalhes técnicos da missão, como o modelo da aeronave, a capacidade, o tempo de voo.

3) Aprovada a proposta, a equipe Líder cuida de todos os trâmites operacionais e documentação necessária para executar um voo de excelência.

 

Cotação de fretamento

* Campos com preenchimento obrigatório

ADICIONAR TRECHO